Close
Av Dr. Gastão Vidigal, 1946
Ceagesp - Vila Leopoldina - SP
Pav. MFE/A - MOD. 98, 99 e 100
(11) 3641-0402 adm@lgcompras.com.br

Secretaria da Agricultura de SC pede renegociação de dívidas dos produtores de cebola

Secretaria da Agricultura de SC pede renegociação de dívidas dos produtores de cebola

Produtores catarinenses de cebola enfrentam dificuldades na safra 2016/17. Com previsão de safra recorde, os produtores estão preocupados com a estagnação do mercado, uma combinação que faz o preço do produto cair no mercado interno e traz dificuldades para a cadeia produtiva.  O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que o cenário é ainda mais preocupante devido aos financiamentos contraídos para custeio e investimentos na área cultivada. Foram mais de R$ 162 milhões em financiamentos para produção de cebola na safra atual que devem ser pagos entre este mês de fevereiro e maio.

Em Santa Catarina, os produtores dependem de financiamentos, em especial crédito de custeio e de investimentos, para a manutenção da área cultivada. De acordo com os dados do Banco Central do Brasil, na safra 2016/17, os produtores contrataram 3.964 operações de crédito, um montante que passa de R$ 162 milhões. Como grande parte desses financiamentos é feita por agricultores familiares e muitos deles não conseguirão honrar seus pagamentos entre fevereiro e maio, a intenção da Secretaria da Agricultura é interceder junto ao Governo Federal e aos órgãos financeiros para a prorrogação dos prazos de pagamentos.

“Queremos unir forçar para solicitar ao Governo Federal e ao Banco do Brasil a renegociação do custeio e, principalmente, sem prejuízos para a obtenção de novos créditos na próxima safra”, ressalta Sopelsa.  Hoje, o estado responde por 66,9% de todo crédito rural destinado para produção de cebolas no país e por 65,5% do total de recursos liberados para a cebolicultura brasileira.

As dificuldades dos produtores de cebola em Santa Catarina começaram já na safra 2015/16, quando a colheita não teve a qualidade esperada e a importação de cebolas chegou a 334,7 mil toneladas. Com a colheita prejudicada e o aumento nas importações, muitos agricultores tiveram que prorrogar os financiamentos.

Na safra 2016/17, as condições naturais favoráveis aliadas à tecnologia adotada resultam numa safra com volume recorde em Santa Catarina. O Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri) estima que a produção catarinense deva ultrapassar as 580 mil toneladas, gerando grande oferta do produto no mercado nacional no primeiro semestre do ano, o que acarreta uma queda nos preços.

O mais preocupante é a falta de mercados para comercializar a cebola catarinense. Segundo o secretário Moacir Sopelsa, o produtor hoje recebe em média R$ 0,50 por quilo de cebola, praticamente o custo de produção. “Temos uma super safra num período que o poder aquisitivo da população e o consumo caíram, os produtores não conseguem pagar os financiamentos contraídos e precisam de crédito para plantar a próxima safra”, ressalta.

Fonte: Secretaria de Agricultura de SC
.column-1_6, .column-2_12 { width: 30%; } .column-5_6, .column-10_12 { width: 70%; } .top_panel_middle .menu_main_wrap { margin-top: calc(1.9em*1.825); }